No Brasil, venho notando, ainda mais nessa molecada que tem entre 12 e 25 anos, uma grande tendência em deixar de torcer para times brasileiros e se entreter na fantasia do futebol Europeu.

Não sou contra o acompanhamento e a luxúria que o futebol de fora de nosso continente apresenta, não sou contra da “molecada” apreciar um futebol diferente do apresentado aqui pelas Américas, mas sou inteiramente contra quando se trata de torcer. Pois estamos notando uma migração, onde o time aqui do Brasil passa a ser a segunda equipe!

Mas o que essa geração vídeogamerecebe de informação para ocorrer essa mudança? Na minha opinião, e do que eu assisto dos formadores de opinião, independente do canal, seja ESPN, Sportv ou Fox, é que tudo que vem de fora é melhor e o que é feito aqui é uma “porcaria”! No Brasil pontos corridos é horrível, nos demais polos europeus são sensacionais.

O calendário não ajuda, na Inglaterra se joga no Natal e Ano Novo. A Florida Cup (que se tornou uma pré-temporada) não serve, mas amistoso entre Real Madrid e um time da segunda divisão do futebol chinês é válido. Clube devendo no Brasil é uma desgraça, Chelsea não cumprindo o fair play econômico, está tudo bem. Jogador europeu é tudo craque, brasileiro para ser do primeiro escalão precisa jogar na Europa.

Técnico do velho mundo é tudo gênio, os daqui é tudo retrógrado! Torcida lá pode levar bandeira e fazer festa, aqui quando faz festa é maloqueiro. Briga lá é caso isolado, aqui é culpa de torcedores bandidos. (Como se não houvesse isso no mundo inteiro). Libertadores é formada por times medianos, Champions League só tem o primeiro escalão. E desde quando Genk, Lokomotiv, Salzburg são da elite?

Sendo assim a mídia é uma das grandes culpadas por essa “cultura” europeia do futebol em nossos torcedores, e que está levando, em alguns aspectos, a acabar com nossas raízes, tanto na arquibancada, quanto em nossos campeonatos, basta ver a final única da Libertadores!

Vejo em grupos, do qual participo, um interesse gigante e uma torcida fervorosa por times Europeus além de uma frescura entranhada nesses novos torcedores, os famosos NUTELLA!

O pessoal sabe de tudo do que acontece do lado de lá do Atlântico e deixa em segundo plano o que vem acontecendo aqui! Eu como torcedor “raíz”, se é que posso ser chamado assim, não torço pro Barça, Juve, ou qualquer desses aí, não tenho segundo clube, sou daqueles que vai ao estádio para assistir o futebol do time, independentemente de sua colocação na tabela, de ter um time fraco ou ter problemas financeiros.

Gosto de ir torcer no estádio sem xingar o jogador, indo somente para apoiar nos 90 minutos. Assisto o jogo em pé e não sentando como um admirador de teatro, sou daqueles que não grita gol antes, não fico no whatsapp, não tiro selfie durante o jogo, não compro a porcaria do cavalinho do fantástico, não quero aparecer no telão, xingo os torcedores adversários , pensando sempre em desestabilizá-los.

Vou no estádio com a camisa do meu time e não com a de um clube de fora. Por tudo isso, eu passo a ser o diferentão, (com muito orgulho), pois eu torço e não faço campanha pra nada! Evolução deve existir sim, tal como os novos estádios, o sócio torcedor, patrocínio, grandes contratações, mas não podemos esquecer de quem somos e o por quem torcemos!

por Erdimir Bueno.
@erdimir


*Todos os textos e imagens publicados no blog ReZÉnha refletem única e exclusivamente a opinião dos colaboradores/autores de cada artigo, sem qualquer responsabilidade atribuída à marca Zé Carretilha Ltda.